Um método econométrico na identificação dos determinantes da criminalidade municipal: a aplicação em Minas Gerais, Brasil (2000-2014)
PDF (Português (Brasil))
XML (Português (Brasil))

Archivos suplementarios

Tabelas do artigo (1-3) (Português (Brasil))
Contrato para cesión de derechos patrimoniales de autor (Português (Brasil))
Declaración de originalidad del trabajo escrito (Português (Brasil))
Artículo con los cambios (Português (Brasil))
Carta a los dictaminadores y editores (Português (Brasil))
Figuras insertadas en el artículo (Português (Brasil))

Palabras clave

Economia do crime
minas gerais
dados em painel
políticas públicas
criminalidade municipal.

Cómo citar

Ervilha, G. T., & de Lima, J. E. (2018). Um método econométrico na identificação dos determinantes da criminalidade municipal: a aplicação em Minas Gerais, Brasil (2000-2014). Economía Sociedad Y Territorio, (59), 1059-1086. https://doi.org/10.22136/est20191250

Resumen

O presente trabalho busca analisar, através da metodologia de dados em painel, se as heterogeneidades municipais em Minas Gerais exercem influências nos diferentes indicadores de criminalidade apresentados pelos 853 municípios mineiros entre 2000 e 2014. Apesar de algumas oposições ao referenciado na literatura da Economia do Crime, os resultados apresentados sugerem que as políticas de combate à criminalidade devem ser conjugadas com outras políticas públicas relacionadas à educação, assistência social, considerando a faixa etária e a vulnerabilidade socioeconômica da população. Assim, mais eficiente do que o combate ostensivo entre policiais e criminosos é o combate aos incentivos gerados pela criminalidade
https://doi.org/10.22136/est20191250
PDF (Português (Brasil))
XML (Português (Brasil))

Citas

Almeida, Eduardo Simões de, Eduardo Amaral Haddad e Geoffrey John Dennis Hewings (2005), “The spatial pattern of crime in Minas Gerais: an exploratory analysis”, Economia Aplicada, 9 (1), Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, pp. 39-55.

Andrade, Mônica Viegas e Marcos de Barros Lisboa (2000), “Desesperança de vida: homicídio em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo: 1981 a 1997”, em Ricardo Henriques (ed.), Desigualdade e pobreza no Brasil, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Rio de Janeiro, Brasil, pp. 347-384.

Andrade, Mônica Viegas e Betania Totino Peixoto (2007), “Avaliação econômica de programas de prevenção e controle da criminalidade no Brasil”, texto para discussão, núm. 311, Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional-Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.

Antonello, Sérgio Luís, Magda Adelaide Lombardo, Mônica Giacomassi de Menezes Magalhães, Gerson da Silva Olivetti, Lucimari Aparecida Franco Garcia Rossetti, Claudio Luiz Silva Junior e Lucila Fortes Blotta Roda (2004), “Análise espacial da violência urbana: uma visão de desigualdade e fragmentação social em cidade de médio porte do estado de São Paulo”, Anais do I Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Local, 19 a 21 de maio, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, Brasil.

Araújo-Junior, Ari Francisco de e Pablo Fajnzylber (2001), “O que causa a criminalidade violenta no Brasil? Uma análise a partir do modelo econômico do crime: 1981 a 1996”, texto de discussão, núm.162, Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional-Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.

Araújo-Junior, Ari Francisco de e Pablo Fajnzylber (2000), “Crime e Economia: um estudo das microrregiões mineiras”, Revista Econômica do Nordeste, núm. 31 (especial), Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste-Banco do Nordeste do Brasil, Fortaleza, Brasil, pp. 630-659.

Baumann, Renato (2016), “As economias emergentes e o cenário internacional”, texto para discussão, núm. 2235, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Rio de Janeiro, Brasil.

Beato-Filho, Claudio Chaves e Ilka Afonso Reis (2000), “Desigualdade, desenvolvimento socioeconômico e crime”, em Ricardo Henriques (ed.), Desigualdade e Pobreza no Brasil, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Rio de Janeiro, Brasil, pp. 385-402.

Beato-Filho, Claudio Chaves (1998), “Determinantes da criminalidade em Minas Gerais”, Revista Brasileira de Ciências Sociais, 13 (37), Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais, São Paulo, Brasil, pp. 74-87, doi: 10.1590/S0102-69091998000200004

Becker, Gary Stanley (1968), “Crime and Punishment: An Economic Approach”, The Journal of Political Economy, 76 (2), The University of Chicago Press, Chicago, Estados Unidos da America, pp. 169-217, doi: 10.1086/259394

Bernoit, Jean-Pierre e Martin Osborne (1995), “Crime, punishment, and social expenditure”, Journal of Institutional and Theoretical Economics, 151 (1), Mohr Siebeck, Tübingen, Alemanha, pp. 326-347.

Bentham, Jeremy (1788), “Principles of penal law”, em Jeremy Bentham, The works of Jeremy Bentham, vol. 1, Principles of morals and legislation, fragment on government, civil code, penal law, William Tait, Edimburgo, Escócia.

Cameron, Adrian Colin e Pravin Trivedi (2005), Microeconometrics: Methods and applications, Cambridge University Press, Nova Iorque, Estados Unidos da America.

Cerqueira, Daniel Ricardo de Castro e Waldir Jesus de Araujo Lobão (2004), “Determinantes da criminalidade: Arcabouços teóricos e resultados empíricos”, Dados, 47 (2), Instituto de Estudos Sociais e Políticos-Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil, pp. 233-269, doi: 10.1590/S0011-52582004000200002

Costa, Maria Clélia Lustosa e Fabiano Lucas Freitas (2011), “Criminalidade violenta na Região Metropolitana de Fortaleza”, Revista Geográfica da América Central, 2 (47E), Editorial Universidad Nacional de Costa Rica, Heredia, Costa Rica, pp. 1-18.

Dias, Victor Hugo Costa (2016), “Relações entre índices de criminalidade e indicadores socioeconômicos nas regiões administrativas do Distrito Federal”, Acta de Ciências e Saúde, 1 (5), Faculdade LS, Taguatinga, Brasil, pp. 156-160.

Donohue, John e Steven David Levitt (2001), “The Impact of legalized abortion on crime”, The Quarterly Journal of Economics, 116 (1), Oxford University Press, Oxford, Londres, pp. 379-420, doi: 10.1162/00335530151144050

Fernandez, José Carrera e Luiz Fernando Lobo (2005), “A criminalidade na região metropolitana de Salvador”, Análise Econômica, 23 (44), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil, pp. 31-65, doi: 10.22456/2176-5456.10816

FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública) (2015), “Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2015”, Fórum Brasileiro de Segurança Pública, São Paulo, Brasil, <http://www.forumseguranca.org.br/>, 25 de junho de 2017.

FJP (Fundação João Pinheiro) (2015), “Índice Mineiro de Responsabilidade Social 2015”, FJP, Belo Horizonte, Brasil, <http://imrs.fjp.mg.gov.br/Consultas>, 24 de junho de 2017.

Gaulez, Maiara Patti e Vladimir Maciel Fernandes (2015), “Determinantes da criminalidade no Estado de São Paulo: uma análise espacial de dados em cross-section”, Anais do XLIII Encontro Nacional de Economia, 8 a 11 de dezembro, Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia, Florianópolis, Brasil.

Gomes, Fábio Cantizani (2009), “Política urbana e criminalidade”, Direito e Sociedade, 4 (1), Faculdades Integradas Padre Albino, Catanduva, Brasil, pp. 76-85.

Gomes, Fábio Augusto Reis e Lourenço Paz Senne (2008), “The determinants of criminal victimization in São Paulo State, Brazil”, Brazilian Review of Econometrics, 28 (2), Brazilian Econometric Society, Rio de Janeiro, Brasil, pp. 217-238, doi: 10.12660/bre.v28n22008.1512

Gonçalves, Flávio Bambirra, Rosangela Helena Loschi e Frederico Cruz Rodrigues Borges da (2003), “Análise bayesiana da taxa de criminalidade na região metropolitana de Belo Horizonte usando o modelo de partição produto”, Anais do XXXV Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional, 4 a 7 de novembro, Sociedade Brasileira de Pesquisa Operacional, Natal, Brasil.

Gould, Eric, Bruce Weinberg e David Brendan Mustard (2002), “Crime rates and local labor market opportunities in the United States: 1979-1997”, The Review of Economics and Statistics, 84 (1), The MIT Press, Cambridge, Estados Unidos da America, pp. 45-61, 2002, doi: 10.1162/003465302317331919

Hausman, Jerry Allen (1978), “Specification tests in econometrics”, Econometrica, 46 (6), The Econometric Society, New Haven, Estados Unidos da America, pp. 1251-1271, doi: 10.2307/1913827

Im, Kyung So, Mohammad Pesaran Hashem e Yongcheol Shin (2003), “Testing for unit roots in heterogeneous panels”, Journal of Econometrics, 115 (1), Elsevier, Amsterdam, Estados Unidos da America, pp. 53-74, doi: 10.1016/S0304-4076(03)00092-7

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) (2016), “IBGE Estados”, IBGE, Brasília, Brasil, <http://www.ibge.gov.br/estadosat>, 26 de junho de 2017.

Kelly, Morgan (2000), “Inequality and Crime”, The Review of Economics and Statistics, 82 (4), The MIT Press, Cambridge, Estados Unidos da America, pp. 530-539, doi: 10.1162/003465300559028

Kume, Leandro (2004), “Uma estimativa dos determinantes da taxa de criminalidade brasileira: uma aplicação em painel dinâmico”, Anais do XXXII Encontro Nacional de Economia, 7 a 10 de dezembro, Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia, João Pessoa, Brasil.

Lemos, Alan Alexander Mendes, Eurílio Pereira Santos Filho e Marco Antonio Jorge (2005), “Um modelo para análise socioeconômica da criminalidade no município de Aracaju”, Estudos Econômicos, 35 (3), Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, pp. 569-594, doi: 10.1590/S0101-41612005000300007

Levin, Andrew, Chien-Fu Lin e Chia-Shang Chu James (2002), “Unit root tests in panel data: asymptotic and finite sample properties”, Journal of Econometrics, 108 (1), Elsevier, Amsterdam, Holanda, pp. 1-24, doi: 10.1016/S0304-4076(01)00098-7

Loureiro, Paulo Roberto Amorim, Mário Jorge Cardoso de Mendonça, Tito Moreira, Belchior Silva e Adolfo Sachsida (2009), “Crime, economic conditions, social interactions and family heritage”, International Review of Law and Economics, 29 (3), Elsevier, Amsterdam, Holanda, pp. 202-209, doi: 10.1016/j.irle.2009.01.002

Machin, Stephen e Costas Meghir (2004), “Crime and Economic Incentives”, The Journal of Human Resources, 39 (4), University of Wisconsin, Madison, Estados Unidos da America, pp. 958-979, doi: 10.2307/3559034

Mendonça, Mário Jorge Cardoso de, Paulo Roberto Loureiro Amorim e Adolfo Sachsida (2003), “Criminalidade e desigualdade social no Brasil”, texto para discussão, núm. 967, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Rio de Janeiro, Brasil.

Miethe, Terance, Michael Hughes e David Mcdowall (1991), “Social Change and Crime Rates: An Evaluation of Alternative Theoretical Approaches”, Social Forces, 70 (1), Oxford University Press, Chapel Hill, Estados Unidos da America, pp. 165-185, doi: 10.2307/2580067

Oliveira, Cristiano Aguiar de (2008), “Análise espacial da criminalidade no Rio Grande do Sul”, Revista de Economia, 34 (3), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil, pp. 35-60, doi: 10.5380/re.v34i3.13824

Oliveira, Cristiano Aguiar de (2005), “Criminalidade e o tamanho das cidades brasileiras: um enfoque da economia do crime”, Anais do XXXIII Encontro Nacional de Economia, 6 a 9 de dezembro, Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia, Natal, Brasil.

Olivetti, Gerson da Silva e Magda Adelaide Lombardo (2010), “Mapeando as ocorrências de criminalidade urbana na cidade de Rio Claro – SP”, Anais do I Congresso Brasileiro de Organização do Espaço, 5 a 7 de outubro, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, Brasil.

Pereira, Rogério e José Fernandez Carrera (2000), “A criminalidade na região policial da Grande São Paulo sob a ótica da economia do crime”, Revista Econômica do Nordeste, núm. 31 (especial), Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste-Banco do Nordeste do Brasil, Fortaleza, Brasil, pp. 898-918.

Queiroz, Bernardo Lanza, André Braz Golgher e Ernesto Friedrich de Lima Amaral (2010), “Mudanças demográficas e condições econômicas e sociais em Minas Gerais”, em: Fabrício Augusto de Oliveira e Wilson Benício Siqueira (org.), As muitas Minas: ensaios sobre a economia mineira. 1 ed. Conselho Regional de Economia de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil, pp. 193-223.

Resende, João Paulo de e Mônica Andrade Viegas (2011), “Crime social, castigo social: desigualdade de renda e taxas de criminalidade nos grandes municípios brasileiros”, Estudos Econômicos, 41 (1), Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, pp. 173-195, doi: 10.1590/S0101-41612011000100007

Sachsida, Adolfo, Mário Jorge Cardoso de Mendonça, Paulo Roberto Amorim Loureiro e Maria Bernadete Sarmiento Gutierrez (2010), “Inequality and criminality revisited: further evidence from Brazil”, Empirical Economics, 39 (1), Springer, Vienna, Austria, pp. 93-109, doi: 10.1007/s00181-009-0296-4

Sachsida, Adolfo e Mário Jorge Cardoso de Mendonça (2007), “Ex-convicts face multiple labor market punishments: estimates of peer-group and stigma effects using equations of returns to schooling”, Revista EconomiA, 8 (3), Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia, Brasília, Brasil, pp. 503-520.

Sampson, Robert e William Byron Groves (1989), “Community structure and crime: testing social-disorganization theory”, American Journal of Sociology, 94 (4), The University of Chicago Press, Chicago, Estados Unidos da America, pp. 774-802, doi: 10.1086/229068

Santos, Marcelo Justus dos (2009), “Dinâmica temporal da criminalidade: mais evidências sobre o ‘efeito inércia’ nas taxas de crimes letais nos estados brasileiros”, Revista EconomiA, 10 (1), Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia, Brasília, Brasil, pp. 169-194.

Santos, Marcelo Justus dos e Ana Lúcia Kassouf (2008), “Estudos econômicos das causas da criminalidade no Brasil: evidências e controvérsias”, Revista EconomiA, 9 (2), Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia, Brasília, Brasil, pp. 343-372.

Santos, Marcelo Justus dos e Ana Lúcia Kassouf (2007), “Uma investigação econômica da influência do mercado de drogas ilícitas sobre a criminalidade brasileira”, Revista EconomiA, 8 (2), Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia, Brasília, Brasil, pp. 187-210.

Sartoris-Neto, Alexandre (2011), “Um modelo espacial de criminalidade para a Cidade de São Paulo”, texto para discussão TD-E 03, Série Economia, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto-Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Schaefer, Gilberto José e Pery Francisco Assis Shikida (2001), “Economia do crime: elementos teóricos e evidências empíricas”, Análise Econômica, 19 (36), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil, pp. 195-217, doi: 10.22456/2176-5456.10682

Shikida, Pery Francisco Assis, Ari Francisco de Araujo Junior, Claudio Djissey Shikida e Salete Borilli Polônia (2006), “Determinantes do comportamento criminoso: um estudo econométrico nas Penitenciárias Central, Estadual e Feminina de Piraquara (Paraná)”, Pesquisa and Debate, 17 (1.29), Pontifícia Universidade Catolica, São Paulo, Brasil, p. 125-148.

Silva, Eudésio Eduím da, Fábio Freire Ribeiro do Vale e Luís Abel da Silva Filho (2011), “Determinantes da criminalidade na região sudeste do Brasil: um estudo a partir da análise fatorial”, Anais do 9º Encontro Nacional da Associação Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, 19 a 21 de outubro, Associação Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, Natal, Brasil.

Smith, Adam (1776), An Inquiry into the Nature and Causes of the Wealth of Nations, 5 ed., Methuen and Co., Ltd., Londres, Inglaterra.

Waiselfisz, Julio Jacobo (2016), “Mapa da Violência 2016: homicídios por armas de fogo no Brasil”, Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, Brasília, Brasil, <https://goo.gl/xN82hS>, 26 de junho de 2017.

Waiselfisz, Julio Jacobo (2011), “Mapa da Violência 2012: os novos padrões da violência homicida no Brasil”, Instituto Sangari, São Paulo, Brasil, <https://goo.gl/0AuJE>, 26 de junho de 2016.

Wooldridge, Jeffrey Marc (2010), Econometric Analysis of Cross Section and Panel Data, 2 ed., The MIT Press, Cambridge, Estados Unidos da America.

Zhang, Junsen (1997), “The Effect of Welfare Programs on Criminal Behavior: a Theoretical and Empirical Analysis”, Economic Inquiry, 35 (1), Wiley, Fountain Valley, Estados Unidos da America, pp. 120-137, doi: 10.1111/j.1465-7295.1997.tb01899.x

Licencia Creative Commons
Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivar 4.0 Internacional.