Acidentes naturais: o paradoxo entre adversidades e potencialidades na gestão urbana
PDF
HTML

Palabras clave

Desastre natural
gestão urbana
vulnerabilidade Social.

Cómo citar

ULTRAMARI, C., & FUKUDA-HAYAKAWA, I. (2015). Acidentes naturais: o paradoxo entre adversidades e potencialidades na gestão urbana. Economía Sociedad Y Territorio, 99–121. https://doi.org/10.22136/est002015555

Resumen

Este artigo busca identificar potencialidades meio a situações de desastres naturais em áreas urbanas. É crescente o debate sobre acidentes naturais e seus impactos; porém é restrita à busca estratégica de instrumentos transformadores paradoxalmente disponibilizados quando dessas adversidades. A discussão teórico-referencial é seguida de estudo de caso sobre eventos adversos na Região Metropolitana de Curitiba e Região Serrana do Rio de Janeiro, Brasil. Os resultados da pesquisa ainda serão submetidos a outras realidades, porém, já se arrisca confirmar a hipótese: em situações adversas, potencialidades podem ser observadas e, talvez pelo paradoxo que suscitam, são pouco apropriadas pelo gestor urbano.

https://doi.org/10.22136/est002015555
PDF
HTML

Citas

Acselrad, Henri (2006), “Vulnerabilidade ambiental, processos e relações”, Comunicação ao II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais, FIBGE, Rio de Janeiro, <http://www.ibcperu.org/doc/isis/11342.pdf>, 25 de janeiro de 2013.

Adams, William (1986), “Whose lives count? TV coverage of natural disasters”, Journal of Communication, 36 (2), Wiley, pp. 113-122, <http://www.gwu.edu/~pad/202/readings/disasters.htm>, 30 de julho de 2013.

Alexander, David (2003), Terrorism, disasters, and security, University of Wisconsin,Madison.

Beck, Ulrich, Anthony Giddens e Scott Lash (1992), Reflexive modernisation, Polity Press, Cambridge.

Bourdieu, Pierre (1998), Escritos de Educação, Vozes, Petrópolis.

Council of the European Union/Economic and Financial Affairs Council (2014), “Council adopts new rules for EU solidarity fund”, Council of European Council Press, Bruxelas.

Djankov, Simeon, Jose G. Montalvo y Marta Reynal-Querol (2005), “The curse of aid: the World Bank”, working paper 45254, World Bank, <http://www.econ.upf.edu/docs/papers/downloads/870.pdf>, 23 de janeiro de 2012.

Fensterseifer, Tiago (2008), “Estado socioambiental de direito e o princípio da solidariedade como seu marco jurídico-constitucional”, Jus Navigandi, 13 (1669), <http://jus.com.br/revista/texto/10887>, 22 de julho de 2012.

Hayakawa, Fukuda Iuri (2008), “Situações de risco ambiental como definidoras de nflexões no planejamento e na gestão urbana um estudo na cidade de Curitiba-Paraná”, dissertação de mestrado defendida junto ao Programa de Pós-graduação em Gestão Urbana, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba.

Hummell, Beatriz Maria de Loyola (2014), Das Geografias da solidariedade: inequidades no direcionamento de recursos internacionais em momentos pós-desastres naturais na década de 2000, tese de doutoramento defendida junto ao Programa de Pós-graduação em Gestão Urbana da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba.

Hutchison, Emma (2014), “A global politics of pity? Disaster imagery and the emotional construction of solidarity after the 2004 asian tsunami”, International Political Sociology, 8 (1), International Studies Associati, Tucson, pp. 1-19.

Jamur, Marilena (2005), “Solidariedade: uma noção tensionada entre o privado e o público”, Revista RAP, 39 (3), Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, pp. 471-504.

Jarry, Emmanuel (2007), “French watchdog says reallocate excess tsunami AID”, Reuters, Paris, <http://uk.reuters.com/article/2007/ 01/03/uk-france-tsunami-idUKL0314404320070103>, 21 de maio de 2014.

Kauchakje, Samira (2012), “Valores de solidariedade e norma jurídica”, dissertação de mestrado, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, , 12 de julho de 2012.

Kauchakje, Samira (2013), “Instituições, cultura e difusão de políticas: modelagem internacional de políticas públicas brasileiras para redução da pobreza”, Ciências Sociais Unisinos, 49, Unisinos, Porto Alegre, pp. 135-144.

Lima, Maria Luísa Pedroso de (2008), “Tragédia, risco e controle: uma releitura psicossocial dos testamentos de 1755”, Revista Análise Social, XLIII, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, Lisboa, pp. 7-28.

Mattedi, Antônio, Cristina Butzke (2001), “A relação entre o social e o natural nas abordagens de hazards e de desastres”, Revista Ambiente & Sociedade, 9, Unicamp, Campinas, pp. 1-22.

Marandola jr., Eduardo e Daniel Joseph Hogan (2006), “As dimensões da vulnerabilidade”, São Paulo em Perspectiva, 20 (1), Fundação Seade, São Paulo, pp. 33-43, <http://www.seade.gov.br>, 13 de junho de 2013.

Marcuse, Peter (2009), “Spatial justice: derivative but causal of social injustice”, Justice spatiale/spatial justice, 1, Columbia University, New York,<http://www.jssj.org>, 21 de maio de 2014.

Mauss, Marcel (2003), Sociologia e antropologia, Cosac & Naify, São Paulo.

Rodríguez, Jorge (2001), “Vulnerabilidad demográfica: una faceta de las desventajas sociales”, Cepal. Serie Población y Desarrollo, 5, Cepal, Santiago del Chile.

Sales, Teresa (1994) “Raízes da desigualdade social na cultura política brasileira”, Revista Brasileira de Ciências Sociais, 25, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs), São Paulo, pp. 26-37.

Thouret, Jean-Claude e Robert D’ercole (1996), “Vulnérabilité aux risques naturels en milieu urbain: effets, facteurs et réponses sociales”, Cahiers Sciences Humaines, 32 (2), Les Editions de l’Aube, Paris, pp. 407-422, <http://horizon.documentation.ird.fr/exldoc/pleins_textes/pleins_textes_4/sci_hum/010006241.pdf>, 21 de maio de 2014.

Ultramari, Clovis (2006), “Vulnerabilidades, resiliência e crises cumulativas urbanas”, São Paulo em Perspectiva, 20 (1), Fundação SEADE, São Paulo, pp. 109-122, <http://www.seade.gov.br/produtos/spp/v20n01/v20n01_08.pdf>, 21 de maio 2014.

Ultramari, Clovis e Denis Rezende (2007), “Urban resilience and slow motion disasters”, City & Time, 2 (3), Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada, Olinda, pp. 47-64, <http://www.ct.cecibr.org>, 21 de maio 2014.

Ultramari, Clovis (2013), “910; 7; 365: an essay on urban potentialties”, Urban Land Policy, 4, Centre for Rural Health and Community Development-University of South Australia, Cambridge, pp. 125-133.

Westphal, Vera Herweg (2008), “Diferentes matizes da ideia de solidariedade”, Revista Katálysis, 11 (1), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, pp. 43-52.

Licencia Creative Commons
Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivar 4.0 Internacional.